As ramblas de Montevidéu

10:08

Quem investe em infraestrutura, com certeza recebe turistas e empreendedores. Falo isso, porque vivo em uma região voltada para o turismo, mas vejo que pouco municípios realizam obras para tentar buscar os visitantes e investidores. Não basta apenas viver do que a natureza oferece, se não há como chegar até ela. Esse problema, vejo principalmente nas praias, que não investem na orla. E foi em Montevidéu que constatei a importância deste cuidado. A cidade não tem um mar, mas possui um rio tão extenso quanto. E a margem uruguaia do Rio da Prata é tão cuidada que muita gente aproveita o espaço para caminhar ou levar o cachorro para passear.



 
Em Montevidéu, os calçadões que contornam o Rio da Prata são chamados de ramblas. São mais de 10 quilômetros de extensão, e toda ela com ciclovias! Em Punta Carretas, por exemplo, há grama, bancos para sentar, um farol e muita gente praticando exercícios.
 

Fui em um domingo, e os que não eram turistas, estavam correndo ou praticando algum outro esporte no gramado. Andei de Pocitos a Ciudad Vieja a pé pelas ramblas. Passei por um monumento aos judeus mortos no holocausto, por um clube de golfe, pelo Parque Rodó e por praias. Na parte mais portuária, perto da Ciudade Vieja, as ramblas começam a ficar feias, pois não há atrativos além do próprio calçadão.


O letreiro com o nome da cidade fica pelas ramblas também. Basta caminhar um pouco além de Pocitos. O local é lindo durante o dia, mas é no crepúsculo que fica ainda mais especial!



 

You Might Also Like

0 comentários