Um pouco sobre São Paulo

08:34

O primeiro destino que trago é São Paulo. Por lá estive quatro vezes. As duas primeiras fui de ônibus com os colegas da faculdade. Vivenciei ótimos momentos que nenhum outro passeio me proporcionaria. Conheci os estúdios da  Globo e do SBT, em São Paulo. Pude, também assistir a gravação do programa Altas Horas.

De ônibus a viagem é cansativa. São horas sentado em uma poltrona em uma viagem que parece não ter fim. Ainda bem que nessas excursões sempre há alguém que faz questão de puxar a festa. Diferentemente o avião te proporciona uma viagem de pouco menos de uma hora, partindo de Florianópolis.
São Paulo é um destino legal, se você quiser fazer qualquer coisa. Nas vezes em que fui, fiquei hospedada duas vezes no Centro Histórico, uma vez nos jardins e uma outra em um local perdido no mapa (péssimo).




Eu e minha mãe em algum lugar do Centro de São Paulo

Quem fica hospedado nos Jardins tem todo o luxo que o bairro proporciona. São ruas arborizadas e bonitas, muito próximas da Avenida Paulista. Contudo, minha preferência é pelo Centro. Eu gosto de respirar história, observar aqueles prédios antigos e etc. Isto compensa o barulho intenso de movimentação durante todo o dia e noite. Na última vez estive no Largo do Arouche, pertinho de tudo.
Dali é possível ir a pé ao Bar da Brahma, ou à Galeria do Rock. Fomos também até as proximidades da Estação da Luz (passando pela Cracolândia - nós fomos corajosos). E tudo isso para irmos até o Bom Retiro comprar roupas. Pura enganação. Se você não é lojista, não possui CNPJ e não pretende comprar horrores, não compensa. Vale ir se aventurar na Rua 25 de Março - mas isso é assunto para uma próxima postagem. 

Abaixo segue o texto que escrevi em 2009 sobre a minha segunda ida à São Paulo.
Nossa aventura começou na segunda-feira (21/9) perto das 8 e meia da noite. Até lá muita festa aconteceu dentro do ônibus. Até a hora que o sono chegou a todos dormiram. Foram mais de 14 horas dentro de um ônibus. Chegamos em São Paulo por volta das 10 da manhã de terça.Primeira parada: Shopping Morumbi. Parada obrigatória, para o almoço, que seria um McDonald's. Lá tem das mais diversas lojas, tudo o que se pode imaginar. Minha única intenção era ir na Starbucks Coffee, uma rede de cafeteria famosa em todo o mundo. Depois do meu almoço fui, fiz a cabeça da Eliana (Preta) e juntas pedimos um café. Não me arrependo, pois a bebida é muito gostosa.Saímos do Morumbi e fomos parar na Rede Globo. Nossa atividade era assistir a gravação do programa Altas Horas, mas antes disso, levamos o famoso e normal chá de cadeira na sala de espera da Globo. Entretanto valeu a pena esperar.Quando entremos no estúdio encontramos vários músicos, dos mais variados estilos musicais. Eles estavam unidos por um só motivo: a paixão pelo time de futebol do coração. Era o dia da torcida. O clássico do futebol brasileiro: São Paulo x Corinthians.Conseguimos um lugar muito bom na plateia, na primeira fileira. Ainda, era um lugar perfeito pra quem queria fazer fotos.E por falar em fotos, na hora em que pedimos uma foto para o Badauí (vocal do CPM 22) ele mesmo tomou a iniciativa, pegou a máquina da minha mão e fez o clique. Foi o único dos que estavam lá que consegui uma foto. Queria também do Japinha e do Zezé de Camargo (tudo bem que não gosto das músicas dele, mas ele é o Zezé e ponto).A gravação terminou por volta das 7 e meia da noite. Da Globo fomos para o hotel. Mais pelo menos 1 hora dentro do ônibus. Os motoristas custaram para achar a nossa "casa" por alguns dias. Pelo menos do lado dela, tinha um bom shopping. Paramos no bairro Santo Amaro (longe de todos os lugares que iriamos). O shopping Boa Vista foi a nossa salvação. Ali a gente almoçava, jantava e passava um tempinho livre (fazendo compras, claro).Na terça a noite ficamos no hotel à noite, já que no dia seguinte deveríamos levantar cedo e pegaro ônibus às 8 horas da manhã pra irmos rumo ao SBT. Mas antes da noite acabar, tive uma surpresa. Na quarta-feira (23/9) foi meu aniversário. Era meia noite quando me chamaram no quarto ao lado, e para a minha surpresa não era só uma reunião qualquer, era uma reunião com bolo, vela e com direito a parabéns e presentes. Juro que me enganaram direitinho.Como não tinha café da manhã no hotel, nos alimentamos com bolachas e todinhos. Praticamente um piquenique no quarto. O meu fone foi um dos meus companheiros inseparáveis durante o percurso caótico e cheio de carros e engarrafamento que só em São Paulo existe. Mais outra hora dentro do ônibus até chegarmos ao Sistema Brasileiro de Televisão. Aquele lugar para mim é quase que um paraíso. É um lugar enorme, cheio de estúdios que sempre estão sofrendo modificações, câmeras, iluminação e tudo o que uma televisão precisa para funcionar.Até o cenário da novela Vende-se um Véu de Noiva fez parte do roteiro da nossa visita. O lugar é inacreditável. Aí eu cheguei a conclusão mais uma vez que a Televisão é quase uma baita de uma mentira. Tudo é montado e desmontado, e o mais interessante: tudo é feito no mesmo lugar.Após nossa visita ao SBT, o ônibus partiu rumo ao Brás. Foi uma tarde de compras, mas não para mim. Saí da 25 de março e fomos parar na Galeria do Rock. Lá é o lugar das pessoas alternativas. Lá é o lugar mais fácil de encontrar tudo referente ou que tem alguma ligação com o rock. Encontrei o cd da banda Abril, acho que na minha cidade não ia ser fácil de achar.Conheci a Igreja São Bento e a faculdade São Bento, a arquitetura daquele lugar é linda, aliás toda aquela parte antiga de São Paulo é maravilhosa. Mesmo com toda a modernidade aparente, me senti um século atrás, em alguma das novelas de época da Rede Globo.Depois do passeio pela 25 de março e pela galeria do rock, voltamos a pé para o Brás, mais uma meia hora de caminhada pela capital paulista.Durante a noite era vez de irmos no clube da comédia, um Stand Up que acontece todas as quartas no teatro Procópio Ferreira, na rua Augusta. Foi uma hora de espetáculo que pareceu ser 15 minutos. O mais esperado da noite era o humorista Danilo Gentili.Ao término da atração, resolvemos subir a rua Augusta, e subir no sentido literal da palavra, já que ela é um morro que parece não ter mais fim. Depois de uma longa caminhada paramos no Habib's. Lá tomamos um sorvete e conversamos um pouco. Depois pegamos um táxi e voltamos para o hotel. Só para lembrar, São Paulo também é linda durante a noite. A iluminação dos prédios, e das pontes dão um show de luzes.Quinta, o dia foi mais tranquilo. Durante a manhã fomos no shopping apenas para almoçar. A tarde fomos parar na Estação da Luz. Fomos no Museu da Língua Portuguesa e na Pinacoteca. O ingresso de ambos são bem baratos, e ainda tem meia entrada para estudantes. E ainda fico frustrada quando penso que há pessoas que não valorizam a cultura quando a tem tão perto. Recomendo a visita nos dois lugares.O museu é espetacular, sem explicação, um lugar paradisíaco para qualquer professor de literatura ou mesmo de língua portuguesa. A pinacoteca já é para quem gosta de arte. Mas tem que entender, não simplesmente gostar. Mas mesmo assim, o lugar é lindo.Lá tem pessoas muito diferentes. Acontece de tudo ao mesmo tempo. E foi na estação da luz que peguei o metrô para passear. Fui até o Brás e voltei. A estação de metrô é uma correria, e um lugar de pessoas apressadas.Esse foi o último lugar que visitamos na capital. Sexta de manhã fomos para a rodovia Bandeirantes, onde está localizado o parque aquático Wet n' Wild. Por incrível que pareça não brinquei na água. Preferi brincar no arvorismo. Uma experiência inesquecível. Fomos para a 12 metros do chão. O percurso total levou um pouco mais de uma hora.Depois da aventura nas árvores, fomos comer e nos arrumar para voltar para a realidade. Mais 14 horas de viagem e uma parada pela polícia para conferir nossas identidades.A volta foi mais tranquila, já que grande parte do pessoal estava cansado das aventuras na metrópole. Uma das partes mais legais da volta foi poder acordar e ver o dia amanhecer.Esse foi um resumo da nossa semana na Terra da Garoa.

You Might Also Like

0 comentários