[resenha] A História de Nós Dois ~ Dani Atkins

Dani Atkins mais uma vez me surpreendeu em uma leitura ~ tudo bem que eu suspeitava do final de Uma Curva no Tempo. Neste último caso, foi diferente. Li até a última linha e ainda assim não saber o que poderia acontecer. Mesmo lendo no meu Kobo, A História de Nós Dois me proporcionou momentos agradáveis na companhia de Emma, Caroline, Amy, Jack e Richard.

A autora inicia a narrativa nos apresentando Emma em um determinado episódio de sua vida. Contudo, a cena é mostrada através de vários fragmentos. Essa estratégia de Dani Atkins me fez ficar vidrada por todo o tempo e ansiosa para entender onde a autora queria nos levar.



Contudo, antes de revelar o final desta história, vários momentos da vida de Emma são contados. Tudo começa quando, a principal personagem  volta da despedida de solteira  e, acompanhada das duas melhores amigas, Caroline e Amy, sofre um acidente ~ não, isso não é spoiler. Tudo ocorre duas semanas do casamento com Richard, o namorado de infância.

É então que Jack é introduzido na história como o salvador. Aos poucos, o amor entre ele e Emma começa a surgir e um triângulo amoroso é criado pela autora. Porém, até a última linha, é impossível saber com quem ela passará o resto da vida.

Mesmo que possa parecer clichê, a história é conduzida por Dani Atkins de uma forma muito leve, fluida. Em nenhum momento a narrativa foi cansativa e é daqueles livros que guardarei como aqueles preferidos para o restante da vida.

Imagem via


Leitura recomendada!

Veja Desengordurante com EspumAção ~ meu queridinho na cozinha

Costumo ler muitos blogs de organização e limpeza para me inspirar a manter a casa organizada ~ mesmo que em algumas semanas isso acabe sendo bastante difícil. E vejo que muita gente fala que o principal para que a casa esteja sempre organizada é estar com a pia limpa. Por isso, sempre que termino as refeições, lá vou eu para a cozinha limpar e guardar tudo nos devidos lugares.

Entretanto, quando faço alguma fritura, aquela gordurinha impregna por toda a cozinha. E não basta apenas o detergente e uma esponjinha para limpar que continua tudo sujo e a bancada toda engordurada.


Foi então que uma propaganda na televisão me chamou muita atenção. Sabe aquela forma que fica toda engordurada depois que a gente assa alguma coisa nela? A moça só respingava o produto e ficava tudo limpo! Parecia até mágica. Quando o encontrei no mercado nem pensei duas vezes antes de colocá-lo no carrinho de compras.

Resultado: hoje ele é o meu queridinho na cozinha.

Bom, estou falando do Veja Desengordurante com EspumAção... Eu o utilizo da seguinte forma: depois que lavo a louça, esguicho um pouco do produto sobre a pia e toda a bancada e por último, passo um daqueles paninhos multiuso que não solta pelos. Além disso, passo no fogão - para mantê-lo sempre limpo - e também em toda a área da cozinha. Esguicho, por exemplo, nos armários, que engorduram bastante também e limpo com papel toalha. O meu depurador, que antes vivia amarelo, agora voltou a ser branquinho... Ah... Isso sem contar as frigideiras cobertas de óleo e as formas depois de assar algum alimento.



O Veja Desengordurante com EspumAção é um daqueles produtos que promete o que cumpre e que está na minha lista de preferidos.

[Minha rotina de beleza] Sabonete em Gel Equilíbrio Nutritivo - Nivea Facial

Na correria do dia a dia, a gente não para pensar em tudo o que pode prejudicar a nossa pele. Além da maquiagem, que muitas vezes, a gente esquece de tirar, a poluição é também um grande vilão. Por isso, todo o cuidado é fundamental. São várias as opções de produtos que a gente encontra na prateleira do supermercado mesmo. Uma delas, a linha facial da Nivea, me chamou bastante atenção. Coloquei no carrinho, louca para experimentar. 

Antes de comprar os produtos da Nivea, eu era bastante desleixada. Tinha dias que a única água que meu rosto via era a do chuveiro mesmo, na hora do banho. Oras. Mas, percebi que meu rosto estava seco, sem vida, ressecado. Foi então que deu o estalo e, sim, eu tinha que tomar providências. 


Agora, minha rotinha de beleza começa ao acordar. Levanto, enxáguo o rosto, coloco um pouco do Sabonete em Gel Equilíbrio Nutritivo - Nivea Facial e sem seguida passo o hidratante. Nesses dias que tenho utilizado os produtos, percebi que minha pele tem ficado mais macia, com vida mesmo. A vermelhidão diminuiu e sinto ela mais limpa. 

Mas, vamos ao sabonete. Como eu falei, o uso do Sabonete em Gel Equilíbrio Nutritivo é a primeira parte da minha rotinha diária de beleza. A embalagem, em forma de bisnaguinha vem com 150ml do produto. Rende bastante. 


A embalagem promete limpar profundamente e equilibrar a hidratação natural da pele. E eu acho que limpa. Sinto-me mais leve. E, ao passar o produto, sinto uma sensação de frescor. Uso uma vez pela manhã e outra durante a noite, antes de dormir. 

Gel para pés e pernas cansadas

Por todo o lugar que ando, há sempre um produto da marca Granado presente. Nos shoppings, em Porto Alegre, há sempre uma destas pharmácias, mas eu nunca dei muita atenção, até poucos dias atrás. Saí de casa com o intuito de comprar apenas um creme para as mãos, porém, acabei voltando com itens além.

Na prateleira da farmácia, estava toda a Linha Pink da Granado, que oferece cuidados para várias partes do corpo. Entretanto, o que mais chamou a minha atenção foi o Gel para Pés e Pernas Cansadas. Eu ainda não tinha experimentado nenhum produto da marca ~ agora quando voltar aos shoppings de Porto Alegre, com certeza visitarei as lojinhas. E, agora, pretendo ter toda a linha e garantir os cuidados comigo mesma. 



Então, ao chegar em casa, tomei um banho. Daqueles bem relaxantes.  Coloquei o pijama e deitei. Espalhei um pouco do gel nas pernas e pés e esperei o produto agir. O cheiro é gostoso, com toques de menta. A consistência é também ótima. Depois de um tempo, senti uma refrescância difícil até de explicar. Contudo, bem gostosa e relaxante. 


O Gel para Pés e Pernas Cansadas da Granado é excelente para ser usado depois daqueles dias cansativos, que a gente passa a maior parte do tempo de pé, andando de um lado para o outro. Depois de bater muita perna fazendo compras, ou simplesmente para relaxar depois do expediente cansativo.

O desafio de ler em outros idiomas

Uma ida à livraria foi o suficiente para que o desejo de ler em outro idioma despertasse em mim. Minha vontade aguçou ainda mais quando, em uma das prateleiras da Livraria Cultura, encontrei uma obra de Gayle Forman que ainda não havia sido publicada no Brasil ~ cerca de um mês depois estava em todas as livrarias. Mesmo que o custo dos livros importados seja extremamente caro ~ principalmente por um pocket book ~ a experiência valeu muito.

Para mim, hoje, ler em um idioma diferente do português ~ e que eu tenha o mínimo de conhecimento ~ é um desafio e um aprendizado. É uma forma de manter a outra língua ainda viva em minha mente, para que eu não esqueça como utilizá-la, já que é difícil eu falar algo além do português no meu dia a dia.



No começo pode parecer difícil, mas assim que a gente se acostuma com o modo de escrever do autor e as palavras utilizadas, a leitura acaba fluindo bem... E, no fim, acabo conhecendo antes os best sellers, que às vezes demoram meses para chegar ao Brasil. Não que eu esteja desvalorizando o mercado nacional, mas é uma forma que encontrei de aprender coisas novas.

Neste ano, li poucos livros em outros idiomas: apenas I Was Here e Volver del Abismo. Em andamento, tenho After You, de Jojo Moyes. Li pouco, mas porque 2015 foi um ano de poucas leituras em geral ~ mais do que em 2014 e mais do que 2013, mas mesmo assim poucas.



[Resenha] Como eu era antes de você - Jojo Moyes

Saber que certos livros ganharão adaptações para o cinema me incentivam a querer - ao menos - conhecer a história. Foi assim com Cidades de Papel, de John Green, e foi assim com Como eu era antes de você, de Jojo Moyes. Eu adoro as obras da autora e saber que Emilia Clarke dará vida a uma heroína de Moyes fez com que eu parasse de procrastinar e iniciasse de uma vez por todas a leitura.



Tudo bem que a adaptação vá estrear nas telonas apenas em junho, e que eu teria bastante tempo para ler com calma. Mas Como eu era antes de você é uma daquelas obras que a gente pega e não tem vontade de largar. A leitura é leve, gostosa e Louisa Clark é o tipo de personagem que te faz entrar na história de uma forma que se torna impossível sair.

Como eu era antes de você foi o primeiro e-book que consegui terminar no meu Kobo ~ depois de dois anos com ele, alguma hora isso tinha que acontecer. Eu acho difícil ler no leitor digital. Para mim a leitura não flui, as páginas parecem infinitas e tudo isso acaba tornando os livros um tanto quanto cansativos.



Mas, de alguma forma, Moyes sabe como conduzir uma história. Ela apresenta os altos e baixos da vida do personagem de forma que prende o leitor a cada página. À noite, sempre dá aquela vontade de ler só mais a próxima página e nunca parar.

Em Como eu era antes de você, a autora trabalhou um tema polêmico. Esse é o segundo livro que leio cujo tema central é o suicídio. Contudo, diferente de I was here, de Gayle Forman, Moyes trata sobre o suicídio assistido. Não sei se deve ter sido fácil para ela escrever sobre isso.

Porém, muito além do debate levantado, Moyes nos conta uma história de amor. A história de Louisa e Will, que foram criados em mundos completamente diferentes, contudo, acabam se encontrando. Bom, já não deve mais ser spoiler para você ~ pelo menos eu acho ~ que Louisa é contratada para cuidar de Will, que depois de um acidente de trânsito acabou perdendo os movimentos do corpo. A obrigação dela é fazer com o homem sinta vontade de viver.

Louisa é o tipo de garota, com seus 27 anos, que está conformada com a vida. Trabalha para ajudar com o orçamento doméstico, que está sempre apertado, e namora Patrick há sete anos. Conseguiu o emprego junto a Will, assim que foi demitida da cafeteria onde trabalhava. Will é totalmente o contrário. Se antes tinha uma vida intensa em Londres, agora vive apenas em casa. Contudo, incentiva Clark a abrir os horizontes, conhecer coisas novas e não se acomodar na vida.

Não vou contar o final, embora eu já suspeitasse como a autora colocaria o último ponto final. Mas, a cada página virada, eu ainda tinha esperança de que fosse diferente, de que fosse o final que eu havia imaginado.

Para encerrar: por que não li antes? 


Google Plus

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *